Riqueza cultural de Balneário Camboriú é destaque na França

Riqueza cultural de Balneário Camboriú  é destaque na França

Turismo e cultura de mãos dadas com a história. Um documentário de 12 minutos foi o resultado do intercâmbio cultural que a professora francesa Enya Gemard fez em Balneário Camboriú no ano passado. Sua pesquisa versou sobre a sobrevivência da comunidade quilombola do Morro do Boi em meio ao desenvolvimento que tomou conta da cidade nos últimos anos.

Ela destaca os prédios e restaurantes luxuosos, a força do comércio, as praias paradisíacas, a gastronomia internacional e a qualidade de vida atestada pela ONU que atrai pra cá turistas de todos os cantos do mundo.

Para prestar contas de sua pesquisa, a professora optou pela gravação das imagens a cargo do produtor Sergio Sandullo. O roteiro passeia pela orla antes de subir o morro do Boi e mostrar a comunidade descendente de escravos que se mantém quase alheia ao caráter cosmopolita de Balneário Camboriú. “A cidade é moderna, conhecida como a Miami brasileira, mas guarda muita riqueza cultural como os quilombolas”, comenta Enya, que fez questão de mostrar no vídeo a produção das tradicionais bonecas Abayomis e o Maracatu, com seu batuque e sua dança.

Nas imagens, é possível perceber a grandeza da jovem europeia traduzida nos abraços emocionados, no entrosamento e nas brincadeiras com as crianças quilombolas. Imagens que transmitem a verdade pelo olhar e pela sensibilidade de uma professora que atravessou o Atlântico pra amplificar história, sentimento e respeito pelos descendentes de homens e mulheres que foram escravizados num  Brasil não muito distante.

O documentário é narrado em português pela professora, mas foi legendado em francês. A versão original, gravada em francês, foi apresentada na cidade de Nantes no dia 10 de janeiro para uma seleta plateia de professores e pesquisadores. “O que mais nos encanta é o reconhecimento dessa riqueza, da paisagem cultural que temos. Nesse caso, o destaque foi a comunidade quilombola, mas temos muito a mostrar, como a pesca artesanal e tantas tradições que reconhecemos e buscamos fomentar”, explica o presidente da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Anderson Beluzzo.

“Hoje, podemos dizer que a comunidade quilombola está reescrevendo sua história por meio da música, da fotografia, do artesanato e da consciência do seu valor como bem cultural da sociedade onde está inserida e do Brasil”, completa Beluzzo.

“É fundamental lembrar que a Lei Municipal de Incentivo à Cultura (LIC), em sua primeira edição, patrocinou projetos importantes envolvendo a Comunidade Quilombola e o Maracatu, além de outros 47 trabalhos belíssimos. Isso é motivo de orgulho pra nós, gestores, e é com esse foco que determinamos, para 2015, a ampliação do valor que investimos na produção cultural local por meio da LIC”, avalia o prefeito Edson Piriquito.

O vídeo pode ser assistido no Youtube, pelo link:
https://www.youtube.com/watch?v=zTcZbSGMqYM&feature=youtu.be

Mais informações:
Anderson Beluzzo – (47) 9238.9407
Prefeitura de Balneário Camboriú  


Fundação Cultural de Balneário Camboriú
Assessoria de Imprensa
Texto: Vânia de Campos (Jornalista) (47) 9983.6176
Fotos: Captura de imagens gravadas em vídeo, por Sergio Sandullo
culturabc.com.br
facebook.com/fundacaocultural
facebook.com/galeriamunicipaldearte
balneariocamboriu.sc.gov.br
facebook.com/prefeituradebalneariocamboriu

Sueli Sayonara Enya Diversão

 

Matérias similares

No related posts found.