Mauro Caelum na Galeria Municipal de Arte de Balneário Camboriú

Mauro Caelum na Galeria Municipal de Arte de Balneário Camboriú

“Em outubro de 2012, o artista esteve em coma. Quando morreu voou por terras distantes. Desse voo suas veias foram bombeadas pelos traços vindos de terras remotas. Agora reciclado, seu coração sangra imagens materializadas em forma de arte morta-viva. Acidental, súbita e passageira viagem.”  (Texto enviado por Mauro Caelum para acompanhar a exposição).

A Galeria Municipal de Arte de Balneário Camboriú abre para visitação nesta sexta-feira, 7, às 13h, a exposição “Meus traços são veias que bombeiam um coração reciclado” do multiartista Mauro Sérgio Santos, o Mauro Caelum, falecido semana passada (27/set).  A família decidiu manter a mostra já agendada, mas não haverá cerimônia de abertura. São 32 peças criadas, basicamente, com papelão sobre madeira, papel machê e muita tinta vermelha.
A proposta desta exposição, segundo o artista, foi apresentar o resultado criativo do período de sete dias em que ficou em coma após a grave parada cardíaca que sofreu em 2012. As peças surgiram em novas formas e traços durante sua recuperação e Mauro atribuiu essa inspiração à “viagem” do coma vivenciada pelo que chamou de alucinações provocadas pelos medicamentos que recebeu no período.
A mostra poderá ser visitada até 3 de novembro sempre de segunda a sexta, das 13h às 19h.

Mais de Mauro
(Adaptação de texto fornecido pelo artista)

Mauro Sérgio Santos nasceu em Tijucas em 1958 e mudou-se para Itajaí ainda na  infância. A arte sempre esteve presente em sua trajetória – sempre levava consigo “restos de materiais” que embalavam seu imaginário em obras futuras. Começou a produzir peças com materiais reutilizáveis e recicláveis em sua casa em 1992 e, alguns anos depois, a arte tomou sua vida e passou a se dedicar exclusivamente a ela.

Trabalhou em projetos com a FAMAI e Arte nos Bairros em Itajaí lecionado sobre o seu processo de criação e estimulando novos artistas. Desenvolveu seu trabalho abordando a temática socioambiental aplicada às artes plásticas, dando um papel diferenciado ao artista dentro da sociedade, ou seja, o artista engajado socialmente e com potencial transformador de realidades.

Mauro, como artista e “educador ambiental” através do desenvolvimento de suas peças 100% sustentáveis desenvolveu algo novo, produziu em sua obra um conceito amplo de entendimento de arte, artesanato e consciência ecológica, conceito fruto de sua sensibilidade materializada nas obras que produziu. Através do papel machê, madeira e plástico, principais materiais usados, desenvolveu um trabalho na comunidade itajaiense e levou o imaginário de suas obras ao conhecimento de diversas pessoas na cidade e região.

Nos últimos anos, participou de coletivas  e individuais.
Veja os destaques:

2013 – “Pretexto: Arte na Cidade”, com realização do SESC.
2013 –  Lança o livro “Caelum: Filosofia, Arte e Meio Ambiente” sobre seu processo de trabalho
2014 –  “Caelum”, na Casa da Cultura Dide Brandão, Câmara de Vereadores de Itajaí, Mercado Público Municipal de Itajaí.
2014 – Assina o cenário e objetos cênicos dos espetáculos teatrais “As Maricota” e “Tomara que não chova! Ou a incrível história do homem que se transformou em cachorro” da Téspis Cia. de Teatro.
2015 – Assina o cenário do DVD do grupo musical Tarrafa Elétrica e estampa suas obras na capa do CD do cantor Itajaiense Chico Preto.
2015 – Participa do projeto Intervenções Urbanas da Eranos Círculo de Arte com a intervenção artística “Figuras da Alma”.

Mais informações e agendamento de visitas monitoradas
Galeria Municipal de Arte – (47) 3264.8734, das 13h às 19h

Prefeitura de Balneário Camboriú
Fundação Cultural de Balneário Camboriú
Assessoria de Imprensa
Texto: Vânia de Campos (Jornalista)
Foto: Divulgação
culturabc.com.br | facebook.com/fundacaocultural
balneariocamboriu.sc.gov.br

expo-outubro

 

Matérias similares

No related posts found.