Cultura Alimentar – Dia 20 tem palestra sobre slow food em Balneário

Cultura Alimentar – Dia 20 tem palestra sobre slow food em Balneário

A italiana Valentina Bianco, coordenadora do Movimento Slow Food Internacional para a América Latina, será a palestrante na próxima terça-feira, 20, falando sobre …o tema ‘Slow Food e a cultura alimentar no Brasil e no mundo’. A iniciativa conjunta é assinada pelo Movimento Slow Food/SC, Fundação Cultural de Balneário Camboriú (FCBC) e Câmara Setorial de Cultura Alimentar, com apoio do Sesc/SC.

A palestra tem como público-alvo acadêmicos de cursos superiores de turismo, história/antropologia, gastronomia e nutrição, membros do Convention Bureau, câmaras setoriais culturais e a comunidade. A palestra gratuita começa às 19h no Sesc/Balneário Camboriú – avenida Central, 360.

O que é Slow Food?

O movimento Slow Food, segue o conceito da ecogastronomia, está no Brasil há cerca de 10 anos com a filosofia de que todos têm o direito fundamental ao prazer de comer bem e, por isso, a responsabilidade de defender a herança culinária, as tradições e culturas que tornam possível esse prazer. O Brasil é o oitavo país com uma associação nacional do Slow Food – além da Itália, EUA, Reino Unido, Holanda, Alemanha, Suíça e Japão. Os dirigentes nacionais têm como meta para os próximos três anos ampliar para mil os atuais cento e poucos convívios e comunidades.

Bom, limpo e justo. É assim que o movimento acredita que deva ser o alimento. “O alimento que comemos deve ter bom sabor; deve ser cultivado de maneira limpa, sem prejudicar nossa saúde, o meio ambiente ou os animais; e os produtores devem receber o que é justo pelo seu trabalho. Somos coprodutores e não simples consumidores, pois tendo informação sobre como nosso alimento é produzido e apoiando efetivamente os produtores, nos tornamos parceiros no processo de produção”, dizem os coordenadores nacionais no site www.slowfoodbrasil.com.

Cada grupo de Slow Food do Brasil é chamado de ‘convivium’, palavra latina que significa entretenimento, festim, banquete. Os convívios brasileiros articulam relações com os produtores, fazem campanhas para proteger alimentos tradicionais, organizam degustações e palestras, encorajam os chefs a usar alimentos regionais, indicam produtores para participar em eventos internacionais e lutam para levar a educação do gosto às escolas.

Em Balneário Camboriú, o Convivium Mata Atlântica desenvolve projetos e já tem um grupo de membros bastante eclético representando a sociedade local. Saiba mais em: www.mataatlanticaslow.org.

Mais informações
FCBC – (47) 3366.5325, das 13h às 19h
2014-05-16 20.54.14

Matérias similares

No related posts found.